Seis passos para perceber que você está vivendo uma mudança interna

pressoes_nas_mudancas_

Você já teve a sensação de sentir que algo está mudando, mas não consegue perceber o que está gerando isso. Você já percebeu que, às vezes, nesses processos de mudanças, somos inundados por uma mistura de sentimentos como: raiva, ignorar o que sente, tristeza, melancolia, aceitar e amar. E quando não identificados, não compreendemos que estávamos entrando ou passando por um processo de mudança.

Então, como identifica-los?

Por vezes, estamos tão imersos nesses sentimentos que não percebemos os detalhes, mas com certeza se percebermos que estamos passando por uma mudança, provavelmente sentiremos um desses sentimentos. Mas como sei se estou passando por isso?

Confusa

Tente lembrar de algum momento em que você estava passando por um processo de mudança e sentiu raiva, acabando em ignorar o que sentia.  Lembrou?

Para ficar um pouco mais fácil, vamos conhecer um pouco sobre como cada sentimento aparece.  Tente identificá-los em sua história, porque em alguns momentos esses sentimentos acabam nos dominando e cegando.

A raiva é um sentimento primitivo, que sempre estará conosco até o fim da vida. O que é relevante é como você a sente e a percebe. Quando sentimos raiva, o nosso primeiro sentimento é negá-la, isso porque temos uma crença limitante de que não podemos senti -lá. É importante identifica-la, tentar entender porque a sente. Quando fazemos esse movimento, estamos no caminho. Se negamos, acabamos nos conectando com o próximo sentimento que é ignorar o que sente.

O Ignorar é ocasionado por negar o que sentimos. Passamos a criar uma defesa. Todas as pessoas que trouxerem uma situação semelhante a que você está passando, sua primeira reação será a raiva e a negação. Seus pensamentos sempre são: “Nossa, como a pessoa não enxerga a resposta? ” Acabamos ignorando, criticando sem perceber. No caso desse sentimento ficar muito intenso, acabamos sendo inundados por uma tristeza.

Aí a Tristeza está somada com a raiva e a nossa forma de ignorá-la. Nesse momento, você tem duas escolhas: continuar ignorando ou aceitar que está triste. Caso você opte por acessar o que sente, se permita chorar, chegar no fundo da alma, conheça a melancolia.

Melancolia é a forma mais intensa de sentirmos que chegamos no fundo das emoções quando nos permitirmos sentir, chorar. Nos momentos que ouvimos uma música, assistimos um filme que nos faz lembrar de algo que nos incomoda, aceite, viva esse momento melancólico. Lembrando: isso só acontecerá se você se permitir sentir!  Nesse momento, aceitamos e passamos por esses sentimentos, conseguimos perceber o quanto somos fortes e decididos. Eis que surge o amor!

Amor esse, por termos tido a coragem de perceber o quanto podemos nos encontrar em nossos sentimentos. Encontramos a nossa forma mais simples de nos amarmos por nos permitirmos viver esses sentimentos, e acabamos voltando ao nosso processo de mudança com foco e aceitação.

gv

Pode parecer confuso, mas busque identificar um desses sentimentos no seu processo de mudança, e assim você conseguirá perceber como você tem reagido diante das mudanças. A perfeição só existirá a partir da sua imperfeição de perceber o quanto você pode se conhecer para se encontrar.

Busque encontrar dentro de você esses sentimentos e se permita!

Por que os padrões de beleza ditam nossa forma de ser?

 

critica-corpo-ideal-02

Quem nunca foi vítima de si mesma em momentos de não conseguir continuar uma dieta porque engordou, porque não tem seios, porque tem barriga, porque não é igual a aquela atriz favorita ou porque se percebe de uma forma bem diferente do que os outros te veem?  Todos nós temos esse hábito de nunca achar que está bom o suficiente e desejar sempre algo muito além ou desejar ter e ter sem entender o porquê de ter.

Porque nos cobramos tanto e desejamos tanto algo que, nem sempre, não é real?

Gerou-se e está sendo gerado a cada dia uma ótica de consumo estético desordenado. Hoje, vivemos um mundo tão irreal que nos é passado diariamente pelas mídias (TV, redes sociais), que a coisa começou a ficar vulgarizado, do que você tem que ser para ser aceito. Estamos esquecendo que o real é que você pode desejar ter o corpo ideal, colocar silicone, mas isso não deve ser o que vai te motivar para conquistar o que deseja para ser feliz.

Às vezes, nos convencemos internamente que precisamos desse corpo ideal para conseguir algo que está tão difícil, e ficamos tão encantados com essas mensagens que criamos que esquecemos de perceber que é mais fácil olhar para si. A intenção não é gerar polêmica e, sim, buscar entender porque os padrões de beleza hoje nos prendem tanto, escravizam e, muitas vezes, nos colocam em um padrão que nem podemos sustentar.

Quando temos um foco de realizar algo, acabamos sendo influenciados por alguns comportamentos que agem diretamente na percepção como a ilusão, a expectativa e o desejo de ser aceito (a). Quando usados em excesso, podem gerar outros sintomas, vamos entender cada um:

Ilusão é o que criamos na nossa mente acreditando que se eu fizer o que for, posso ter aquele corpo perfeito, o que instiga e muito. O que alimenta a nossa ilusão são essas dietas malucas, fórmulas fáceis de conseguir o corpo ideal, fazer procedimento sem segurança, porque o único foco para a ilusão é chegar ao objetivo independente dos meios, fazendo você não perceber os riscos, neste caso você nem se dá conta.

A expectativa quase sempre anda de mãos dadas com a ilusão, porque ela é responsável por criar as imagens e o ideal alimentandos pelo seu desejo e, quando a expectativa aparece, se for alta demais, pode gerar algumas frustrações e aí não realizadas, dá problemas.

O desejo de ser aceito, amado e admirado, quando anda unido com a ilusão e a expectativa, ninguém mais o segura, porque a ilusão é tão danadinha que quando não monitorada, te convence e leva com ela a expectativa que o mundo inteiro irá te amar se você tiver o carro tal, a roupa tal, se emagrecer ou se fizer alguns procedimentos.

alem-da-ditadura-750x410

A parte que ninguém costuma falar é que ilusão + expectativa + desejo de ser aceito = em excessos a frustação ou desespero. Algumas vezes, as pessoas desistem de buscar aquele ideal que foi todo construído com uma base de castelo de areia, só que o detalhe desse processo é o conquistar, algo sem fazer esforço!

Ok, e agora, o que fazer com tudo isso?

silvana_destaqueSe entendermos esse passo a passo que estamos imersos, compreenderemos que a dieta e todos os procedimentos são validos quando você tem um objetivo certo para eles, ou seja, não criar expectativas de felicidade em algo nada sólido. Quando pensamos em realizar uma dieta, é preciso aprender a comer e escolher melhor a forma de alimentar-se, percebendo as melhorias no humor, entre outros aspectos, mas o emagrecimento será um extra. O mesmo seria para um procedimento estético. Devemos fazer porque é uma questão de saúde ou porque não estou satisfeita com algo, mas o que importa é ter a consciência do porquê fazer!

Quando você inverte o desejo para um objetivo, consegue encará-lo e fazer com dedicação e deixar de lado esses vilões. O processo das nossas escolhas acontece de dentro para fora, não como de costume, de fora para dentro. Após percebemos com o tempo que não está nos trazendo felicidade, pense: Por que desejo emagrecer ou fazer um procedimento estético? O que isso vai me trazer de benefício? O que sempre importará será de onde vem o foco que está dentro de dentro de você ou em padrões ditados pelos outros?

O medo é vilão ou não em nossas escolhas?

3601312-como-escolher-a-profissao-sem-medo-de-errar

Sabe aquele vilão que já comentei em alguns textos, o medo, qual o significado dele em nosso processo de mudança ou autoconhecimento? Por que ele nos ronda, sonda e, às vezes, nos manipula de uma forma tão real?

O que pode alimentá-lo tanto assim?

Bom, a única coisa real é que ele sempre estará sempre dentro de você, como outros sentimentos que lhe controlam. Penso que dentro de cada um existe duas formas: o lado bom e o ruim, os dias lindos e os feios, a melhor versão e a nossa sombra. Existe inúmeras formas de falar ou dar nomes a esses dois momentos que vivemos internamente. Cada pessoa dará um nome especial para esse momento.

O medo transita entre o momento bom e o ruim. O bom é quando temos escolhas deslumbrantes, que sempre desejamos viver e nos damos conta que estamos presos ao medo. Outro lado, é quando tudo está indo muito bem na sua história e aí sua mente conta uma história para você e o medo acaba te impedindo. Quando o medo aparece na nossa sombra ou em nosso lado ruim, ele pode gerar outras situações como medo excessivo, de se expor, de sair de casa, de ir a algum lugar porque acreditamos que algo de ruim possa acontecer. Às vezes, acabamos antecipando algo, nesse momento o medo dá as mãos para a ansiedade e estamos prontos para não sair do lugar.

0,,69817149,00

Você consegue perceber em que situações aparece o medo?

Quando conseguimos ter uma ideia dos momentos em que o medo aparece, passamos a ter uma informação muito real que nos orientará para uma resposta diferente do medo. O medo, em alguns momentos, pode ser  interessante quando utilizado em doses moderadas, equilibradas. Porque o medo deve parecer como um termômetro, a partir do momento que o identifico e sinto, busco compreendê-lo na situação que estou vivendo e sentindo. Quando ocorre a ausência, seja em um momento bom ou ruim de forma moderada, pode ocasionar excessos, riscos. Pense: Você consegue se recordar em quais momentos você sentiu medo? No que ele te auxiliou? A que momento a falta de medo te levou? Quais foram os resultados? O que você deixou de fazer por um medo excessivo?

nmc-010-top
Pense nessas perguntas e se permita avaliar as respostas. Quando passamos a observar e tentar entender ou compreender o que sentimos, passamos a nos conhecer melhor e fazer escolhas verdadeiras e conscientes que podem nos levar a lugares internos, pensamentos, ideias em que nunca havíamos estado antes.

kolaborativa-divulga-medo

Criança, adolescente e mulher de cada uma…

tumblr_lpfmsk11GN1qgve7so1_500

O que falar dessa mulher de fases que somos? Além de passarmos por fases da vida, às vezes continuamos com uma criança , adolescente ou adulta internamente. Essas personas tem tanto domínio em nós, que em momentos decisivos elas são capazes de nos auxiliar ou até gerar uma confusão interna capaz de nos deixar tontas.

Essas personas, criança, adolescente ou mulher que nos habita internamente, só estão querendo nos comunicar de situações, gostos do passado que ainda temos ou quando passamos a viver o nosso presente e acabamos sendo sufocadas. Outros fatores podem ser os padrões ditados, crenças ou até mesmo quando reprimimos alguns desejos. Quando não deixamos fluir o que sentimos, acabam aparecendo uma das três e eis a confusão. O que também influencia nisso, é como desempenhamos alguns papéis de mulher mãe, filha, tia, irmã, esposa, namorada e amiga. Se não percebermos que cada uma das três personas habitam em um desses papeis desempenhados, passaremos por mais confusões internas.
Você consegue perceber em qual desses momentos uma das três aparecem em sua vida? Quais são os sonhos e desejos delas? O que está atrapalhando você de seguir no presente?

dúvidas-frequentes

O intuito é pensarmos em como estamos construindo e dividindo esses três personagens ou fases. Para qual das três estamos dando espaço para atuar? Você está feliz com os resultados? A que habita em você neste momento está conseguindo colocar em prática seus sonhos, projetos? Pode parecer confuso, inicialmente, pensar nessas formas de existir, mas não será se você compreender.

Pense quais são os desejos, sonhos, que ficaram para trás ou que ainda quer realizar. O importante é compreender que somos únicas. Temos sonhos, desejos, sentimento que muitas vezes nos prendem ou nos libertam. Quando permitimos essas personas existirem internamente, essa criança, adolescente ou adulta convive e tende a exercer seu papel social (mulher mãe, filha, tia, irmã, esposa, namorada e amiga). Qual delas têm falado mais alto dentro de você? Qual você tem mais ouvido?

BABYSempre busque se orientar pelo conforto e carregue paz em seu coração. Podemos minimizar nossos desejos não realizados quando criança ou adolescente, mas isso, com certeza, aparecerá em alguma fase da vida. Interessante é perceber que para você seguir um caminho, uma das três terá que falar mais alto. Às vezes, passaremos por esse processo e sempre será uma escolha sua de construir, caso opte por ter atitudes de uma mulher madura. Crie momentos que permitam que a menina ou adolescente apareça. Como por exemplo, a criança, sentir cheiro de algo que lembre a infância, fazer alguma brincadeira específica com filho ou sobrinho, comer doce sem culpa. Momentos que lembrem e tragam felicidade. Para a adolescente, pode ser estar com amigos que lembram essa fase, ouvir alguma música da época, ficar horas conversando com uma amiga, sair com esses amigos ou amigas. Algo que te traga lembranças. Proporcionar momentos assim, irá trazer mais leveza para a persona atual que toma as decisões dentro de você.

O melhor de descobrir esses momentos e colocá-los cada uma em uma fase é perceber seu real valor como mulher. Compreender que dentro de cada uma de nós, sempre existirá uma das três habitando e elas precisam conversar entre si para entender o momento certo de aparecer. Quando passamos a ter consciência, percebemos a complexidade da nossa existência de ser mulher. Passamos a nos respeitar, buscar o que faz a nossa criança, adolescente ou mulher vibrar!

sdsd